Geral

Ministério Público quer saber se houve interferência de Bolsonaro no Exército

O presidente pode ter violado a Constituição ao dar ordem para revogação de portarias sobre monitoramento de armas e munições

As portarias 46, 60 e 61, foram publicadas em março e revogadas no último dia 17. Elas estabeleciam o controle, rastreabilidade e identificação de armas e munições importadas e fabricadas pela indústria nacional, sob a finalidade de atividades esportivas, de colecionador e também para abastecer os quartéis. A procuradora regional da República, Raquel Branquinho, aponta a possibilidade de Bolsonaro ter agido para beneficiar uma parcela de eleitores.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios