Notícias da tarde

Bolsonaro revoga artigo que suspendia contrato de trabalho por 4 meses

A medida provocou reação de senadores e deputados da oposição
O documento autorizava que contratos de trabalho fossem suspensos por até quatro meses. A medida ainda previa a participação do trabalhador em curso ou programa de qualificação profissional não presencial. No momento, vale a redução de jornada (desde que a pessoa não ganhe menos que o salário mínimo) e a antecipação das férias.


Bolsonaro x coronavírus
“Brevemente, o povo saberá que foi enganado”,
Em entrevista à TV Record, o presidente voltou a minimizar a pandemia e sugeriu que os governadores e a imprensa geram ‘pânico’. Ele disse que espera não ser culpado no futuro pela quantidade de milhões de desempregados.

Bolsonaro se irrita com pergunta 
sobre baixa popularidade: ‘Vá às favas, pô!’
Bolsonaro se irritou sobre o fato de estar com menos popularidade do que o ministro Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Pesquisa Datafolha mostra que 55% dos brasileiros aprovam as medidas de Mandetta para combater o coronavírus. Já Bolsonaro tem 35% da aprovação. Bolsonaro disse que não acredita na pesquisa e criticou a pergunta do jornalista.


Sobre a possibilidade de adiamento das eleições, hipótese levantada por Mandetta, ele disse que o pleito está muito longe.

Enfraquecimento de autoridade
A jornalista Maria Cristina Fernandes, do “Valor Econômico) disse que é melhor que Bolsonaro não faça nada, porque quando faz, faz errado. Ela avalia que revogação de trecho de uma MP poucas horas após a publicação demonstra enfraquecimento de sua autoridade. Na análise dela, presidente tem ficado cada vez mais isolado. ‘Estamos em uma crise de autoridade sem precedentes’, comentou.

Municípios são a favor do 
fechamento do comércio
A Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs) pediu várias medidas ao governo gaúcho, e concorda com o decreto por isolamento social total, com fechamento de todos os comércios e indústrias não essenciais. Pede também a liberação do uso de laboratórios e hospitais de universidades públicas e privadas, abertura de linhas de crédito e autorização para uso fundo eleitoral.

A Corsan não vai cortar água…
…de quem deixar de pagar pelos próximos 60 dias. A medida tenta diminuir os impactos da pandemia. Já os clientes de tarifa social serão isentos da cobrança por um período de 90 dias.

Governo volta atrás e permite 
abertura de postos de combustíveis
Só as lojas de conveniência, as quais só poderão ficar abertas de segunda à sábado, das 7h às 19h.

Testes contra o coronavírus
Vigilância do RS passará a testar apenas casos internados.
Para casos leves, a recomendação é o isolamento domiciliar por 14 dias.
Não é mais possível identificar a fonte da transmissão, o que indica que o vírus já circula entre a população.

Os critérios de viagem ao exterior, até então adotados nas avaliações anteriores, não serão mais considerados.  





PUBLICIDADE:
CHIQUINHO SORVETES

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios