Militares da base se sentem traídos por Bolsonaro

Inconformados com Bolsonaro e a contrarreforma das aposentadorias, praças e cabos protestaram no Congresso.


(Por Vasconcelo Quadros, na Agência Pública) – Que o clã Bolsonaro flerta com o autoritarismo ninguém mais tem dúvida. Mas se decidisse fechar qualquer um dos outros dois poderes da República, como sugeriu o deputado Eduardo Bolsonaro, o presidente Jair Bolsonaro teria ele mesmo que dirigir o jipe: “Cabos e soldados estão com raiva do presidente e dos oficiais”, disse em entrevista à Agência Pública o cabo reformado do Exército Marcelo Machado, presidente da Associação Nacional dos Militares do Brasil (ANMB).


PL da traição
A rebelião em curso dos praças e graduados foi provocada pelo projeto do governo que reestrutura as carreiras e aposentadorias militares – e que privilegia oficiais. Soldados, cabos, sargentos e subtenentes representam nas Forças Armadas 82% do efetivo de 325 mil militares da ativa e a mesma porcentagem dos 700 mil veteranos e pensionistas. Eles votaram em massa no candidato Bolsonaro, mas agora, arrependidos, chamam o projeto de “PL da traição” e anunciam que as relações políticas com a família Bolsonaro estão rompidas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios