Juízes TRF4 reforçam condenação de Lula na caso do sítio

Porto Alegre – O processo envolvendo o ex-presidente Lula está sendo julgado no Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF4). Trata-se do pedido da defesa para anular ou absolver o réu no processo do sítio de Atibaia, no qual ele foi condenado a 12 anos e 11 meses. O relator, desembargador Gebran Neto, já manifestou seu voto contra a anulação e decidiu ampliar a pena para 17 anos. O revisor, Leandro Paulsen, concordou, colocando em 2 votos a zero o placar e formando maioria.

O CASO 
Nesse caso, Lula foi condenado em 6 de fevereiro pela juíza substituta Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal de Curitiba, a 12 anos e 11 meses por corrupção e lavagem de dinheiro. Foi sua segunda condenação no âmbito da Lava Jato. A primeira se deu no caso do tríplex no Guarujá (SP).

PROPINA
De acordo com a sentença da primeira instância, Lula recebeu vantagens indevidas das empreiteiras Odebrecht e OAS por meio da reforma do sítio em Atibaia que costumava frequentar com a família. A obra teria custado mais de R$ 1 milhão e o dinheiro teria sido descontado de propinas das empresas em troca de favorecimento ilícito em contratos com Petrobras.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios