Greve do magistério ganha força

A
greve dos professores estaduais está ganhando força no Estado, e em Santiago
não é diferente. Conforme a direção do Cpers, nos seis municípios de abrangência
do 29º Núcleo, 22 escolas estão afetadas pela greve, sendo que 11 paralisaram e 11 estão trabalhando parcialmente. Em apenas duas escolas as atividades não foram afetadas pelo movimento grevista.



A greve só acaba depois que
o governador Eduardo Leite retirar o projeto que foi encaminhado à Assembleia e que prevê alterações no plano de carreira dos professores, no estatuto do servidor público e na previdência estadual.
Nesta
quarta houve mobilização na escola Apolinário e em frente ao Instituto
Professor Isaías, em Santiago. Para sexta, 22, estão marcadas atividades na
praça central, reunindo um grande número de educadores e apoiadores. Conforme
Leandro Wesz Parise, diretor do Cpers, haverá uma aula pública pela manhã (a
partir das 8h).
Apoio de todos – O Cpers também está
visitando as câmaras da região e pedindo para que os vereadores assinem moção de
apoio às novas pautas. Todos os Legislativos visitados estão do lado do magistério.

No Estado – No terceiro dia de
greve, o Cpers informou que 1.428 escolas tiveram atividades afetadas pelo
movimento nesta quarta (20). Com dados dos 42 núcleos, a entidade divulgou que
727 escolas paralisaram e 701 registraram adesão parcial. Em algumas escolas
apenas 5% dos professores foram trabalhar.
Nos
próximos dias, a categoria espera pressionar os deputados a rejeitarem as
propostas do governo Eduardo Leite que reduzem as progressões na carreira do
Magistério, além de alterar as regras de aposentadoria. A próxima Assembleia
Geral da categoria ocorre na terça, em Porto Alegre. 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios