Sobre o cancelamento de linhas da Centro Oeste

Santiago – A empresa Centro Oeste foi notícia no Expresso. O diretor André Mafini disse que as gratuidades nas passagens acabam pesando no bolso do trabalhador que mais precisa. O alto preço dos combustíveis e da manutenção dos ônibus também afetam na passagem. Diante da diminuição de passageiros, a empresa cancelou algumas linhas, o que gerou reclames de muitos usuários.

Metade dos passageiros não paga
A Centro Oeste transporta 5.500 passageiros por dia e apenas três mil pagam a passagem. Os demais 2.500 usufruem da gratuidade. “A nossa fonte de receita é o passageiro. Com tanta gratuidade, a passagem acaba ficando mais onerosa”. André acredita que a gratuidade tende a diminuir ou até a acabar em alguns anos, como já ocorreu em vários países.

Obs. A Centro-Oeste ainda enfrenta a frota crescente de carros e motos, concorre com os táxis, as tele-motos e agora os aplicativos.

Uma mágica 
com chapéu alheio
Não defendemos a empresa, defendemos a realidade. Essas gratuidades, meia-entrada disso e daquilo ajuda muita gente, mas em certos casos não passa de populismo de político. Uma mágica com chapéu alheio. Quem faz esses projetos ganha aplausos, no entanto, o custo é largado no colo dos outros. Quem não pega ônibus acha lindo bem lindo, já que não precisa todos os dias.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios