Giro crítico e noticioso

Vão-se as árvores, ficam os tocos

Santiago – Outro dia falamos dos cortes de árvores que estragam calçadas. Dissemos que levam as plantas e ficam seus restos mortais; os tocos. A bióloga Andriele Perufo diz que a secretaria de Meio Ambiente está atenta e que vai cobrar ação dos moradores, já que essa tarefa é deles.

Mosca zoando na sopa e no ar
A propaganda de rua é legal, mas deve ser disciplinada; som moderado e com locais e horários apropriados. De tempos em tempos é dado uma dura em quem sai da linha, porém, eles voltam como se fossem a mosca na sopa do Raulzito.

Sonzeira infernal

Alguns nem empresas têm e saem anunciando a torto e a direito. Nâo sei quem suporta tais agudos e até quando. A propaganda, para ser bem feita, deve ser suave, deve agradar. Listas de preços que você tem que sair correndo atrás para ver qual é o mercado ou, loja não dá mais pra aguentar. Espanta em vez de atrair.

Obs. Mas como diz o vereador Rafael Nemitz; não está feliz?, a BR 287 é a serventia da cidade.  

Obras e obras na região
A recuperação das estradas estaduais 377 (Santa tecla e Capão do Cipó) e 168 (entre Santiago e Bossoroca) prosseguem. Em alguns trechos estão sendo colocadas novas camadas de asfalto e nova sinalização. Nos quilômetros, será um tapa-buracos muito bem feito, diz a direção do Daer.
Obs. Avisem o Daer que de Santiago a São Francisco já há enormes buracos na pista da 377.


Operação em Nova Esperança

Na manhã desta segunda os funcionários da Secretaria de Obras iniciaram um mutirão para tapar buracos na rua Redêncio Frizzo, entre a Policlínica e a frente da empresa Gobba Leather. Conforme o secretário Valmor Rosa, o material foi doado pelo Daer.

São Chico parece metrópole

A principal rua, a 13 de Janeiro, fica assim em horário de maior movimento. Até um policial vai para a avenida sinalizar em frente à escola Salgado Filho. Em São Chico também existe  o jeitinho da fila dupla; a pessoa para, liga o pisca alerta e pensa que está tudo dentro da lei.

CORREÇÃO
Era uma vez uma ponte…
Nós dissemos que pertinho do centro da cidade, cruza o rio Inhacundá. De águas limpas e calmas. Tudo maravilhoso. A reportagem disse ainda que estranhou essa obra à beira do rio. É que há muitos anos alguém teve a boa ideia de fazer uma ponte onde não havia nem rua ou estrada.


O leitor Guilherme de Oliveira Lopes entrou em contato para dizer que no local havia, sim, uma ponte. A enchente a levou e, aí, outra foi construída mais para baixo, ficando apenas a cabeceira da antiga.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios