Para ser elogio, deve ser sutil e elegante

ARTIGO DO DIA
(J.Lemes) Só que, pra valer, deve ser sutil. E nada de mencionar padrões físicos como “baixinho querido”, “ali, do lado do senhor careca”, “adorei este magrão”, “que fofa”, (para alguém com sobrepeso) ou “pequeno grande homem ou, ainda, chamar de “MONSTRO sagrado” um talento… Pense nisso quando, de fato, quiser elogiar alguém.

Elogio – do grego eu (boa, bela) logos (linguagem). Elogio era um epitáfio, palavras elogiosas na tumba do amigo ou parente. A palavra se estendeu para quando falamos bem de alguém ainda vivo.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios