Outra vergonha na Assembleia gaúcha

Servidor somou 91 dias de atestado, mas atuava como advogado, participava de audiências e reuniões políticas

O servidor concursado Luís Fernando Coimbra Albino, 55 anos, tem um salário bruto de 24 mil na Assembleia, só que ele ficou 131 dias fora das suas funções (desde janeiro de 2017) usando atestados médicos.  Entretanto, o Grupo de Investigação da RBS apurou que Albino atuava como advogado, participava de audiências e reuniões políticas pelo Solidariedade… A Polícia abriu investigação.

Obs. Esse é o nosso parlamento; há tanta gente nos gabinetes que nem notam a falta de um “supersalário” por mais de 100 dias. E sabem como ele entrou na Assembleia? Com um cargo mixuruca. Hoje ganha quase igual a um deputado. Como isso?

E tem mais: muitos ainda dizem que hoje a imprensa perdeu seu valor, que o negócio são as redes… Será que algo assim seria descoberto sem a imprensa? Parabéns ao Grupo RBS!

Essa onda de atestados também atinge o interior. Muitos prefeitos ficam apavorados com a falta de servidores. Quando vai verificar, grande parte está “doente” e, quem sabe, fazendo outras atividades fora do repouso concedido pelo médico. (Foto; Zero Hora)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios