A violência contra as mulheres segue de norte a sul

As mortes de mulheres e  espancamentos continuam. Nos últimos dias, dezenas foram atacadas, algumas espancadas, outras mortas. 

Rosto desfigurado
Rio – O empresário e filho do presidente da Câmara desfigurou o rosto da sua mulher só porque  ela não queria mais o relacionamento. Ele a espancou por três horas. Fábio Tuffy Felippe se entregou à polícia, mas disse que só falará em juízo.

Morta a socos e garrafas

Rio – Tamires Blanco, 30 anos, foi morta pelo ex, que a agrediu a socos e garrafadas no meio da rua.  De acordo com a família, eles estavam juntos há dois anos e tinham uma filha de 11 meses, que foi encontrada sob o corpo da mãe após o crime.

Atirou na esposa e se arrependeu
São Paulo – Um homem foi preso em Praia Grande ao tentar salvar a sua mulher que havia sido baleada por ele mesmo minutos antes. José Dantas da Silva, 44 anos, atirou na esposa de 39, durante uma discussão. Após, se arrependeu e a levou ao hospital, onde acabou preso. A vítima não resistiu.

Estupraram a mulher em coma
A polícia do Arizona (EUA) investiga um possível caso de estupro em uma clínica onde uma paciente em estado vegetativo há mais de dez anos acabou engravidando. A mulher deu à luz  ainda em 2018. Ela está em coma devido a um afogamento.



Espancada na saída do baile 

A vítima. Na foto acima ela é agredida no rosto por outra.
Depois, mais uma lhe desfere pontapés.  

Jaguari – E aqui, pertinho de nós, a violência também prossegue. Uma jovem foi covardemente agredida por duas mulheres na saída de um baile no Clube União. O vídeo com as cenas covardes corre pela internet e mostra ainda dezenas de barbadões olhando a cena sem fazer nada. Nas ruas, nenhum policial.

Obs. Pelos vídeos, a polícia e a Promotoria devem agir e mostrar que ainda existe lei na pequena cidade ou a cena será repetida dia após dia.

Morte de motorista de 
aplicativo comove o RS
Guaíba – RS – Paulo Júnior da Costa, 22 anos, foi morto na véspera do Ano-Novo, ao fazer uma corrida via aplicativo. Ele passou dias em um cativeiro até seu corpo aparecer em Laguna (SC). Os catarinenses Wesley Nunes Ferraz, 27 anos, e Jackson do Nascimento, 20 anos, chamaram a vítima com destino a Laguna (SC), onde Nascimento passaria o réveillon com a namorada.

A angústia de um pai
Eles tinham ficha por homicídio, tráfico, roubo, furto e lesão corporal. Os dois já estão presos.

Flávio, o pai de Paulo Júnior, conta que estava em casa preparando o churrasco e ligou para o filho, pedindo que comprasse carvão. “Ele respondeu: Tá bom. Tô indo pai. Mas já estava com os bandidos no cativeiro, onde seria morto mais tarde”.
Na foto, júnior, a vítima. 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios