Unesco lança campanha de combate a crimes contra jornalistas

Um jornalista é assassinado a cada quatro dias no mundo, com 1.010 mortes nos últimos 12 anos. Em nove de cada dez casos os assassinos ficam impunes. No Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas, sexta (2), a Organização das Nações Unidas (Unesco) promove uma campanha mundial de conscientização.

Um grupo de especialistas independentes de direitos humanos da ONU pediu aos líderes mundiais que parem de incitar ódio e violência contra a mídia e garantam a punição aos responsáveis. O documento cita o caso do jornalista saudita Jamal Khashoggi, assassinado no início deste mês.

Brasil não pune 
(quase) ninguém
A organização pediu apuração rápida para esclarecer o atentado contra Eduardo Braga (62 anos), proprietário e comentarista da Rádio União, de Jaguaruna (CE). Em 21 de setembro, ele foi baleado por pistoleiros que entraram no estúdio.

O Brasil aparece como um dos 14 países que menos pune os responsáveis pelo assassinato de jornalistas. Em 2017, houve uma morte e 116 jornalistas sofreram violência. De janeiro de 2018 até o primeiro turno das eleições foram 137 casos de agressões.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Mensagem para que o visitante desative o bloqueador de anuncios